Menu

Biomagnetismo: Fibromialgia




E O TEMPO CONTINUA NOS DANDO A RAZÃO!!!
Um dos pares que são encontrados no rastreio de Biomagnetismo, em pessoas com fibromialgia é o par PALMA - PALMA.
Para nós Biomagnetistas, a causa desta enfermidade é o parasita chamado Plasmodium Vivax. Ele é a causa mais comum e disseminada de Malária.
Pois bem... leia o que recentemente os pesquisadores descobriram:



Fibromialgia não está tudo em sua cabeça, novas pesquisas confirmam.

Os pesquisadores descobrem uma fonte biológica racional de dor na pele de pacientes com fibromialgia.
[14 de junho de 2013, Rensselaer, NY]

A fibromialgia, uma condição dolorosa que afeta cerca de 10 milhões de pessoas nos EUA, não é imaginária depois de tudo, como alguns médicos acreditavam. Uma descoberta, publicada este mês em PAIN MEDICINE (the journal of the American Academy of Pain Medicine), demonstra claramente que a fibromialgia pode ter uma base biológica racional localizada na pele.

A fibromialgia é uma aflição severamente debilitante, caracterizada por dores generalizadas de tecido profundo, sensibilidade nas mãos e nos pés, fadiga, distúrbios do sono e declínio cognitivo. No entanto, o teste de rotina tem sido amplamente incapaz de detectar uma base biológica para a fibromialgia, e o diagnóstico padrão é baseado em avaliações subjetivas da dor do paciente, levando mais questões sobre a verdadeira natureza da doença. Durante muitos anos, acreditava-se que a desordem fosse psicossomática ("na cabeça") e, muitas vezes, atribuída à imaginação dos pacientes ou mesmo à falsificação de doenças. As terapêuticas atualmente aprovadas que fornecem alívio pelo menos parcial a alguns pacientes com fibromialgia são pensadas para atuar exclusivamente no cérebro, onde as técnicas de imagem detectaram hiperatividade de origem desconhecida referida como "sensibilização central". No entanto, uma causa subjacente não foi determinada, deixando muitos os médicos ainda estão em dúvida sobre as origens verdadeiras ou mesmo a existência do transtorno.

Agora, uma descoberta inovadora por cientistas da Integrated Tissue Dynamics LLC (Intidyn), como parte de um estudo de fibromialgia com base em Albany Medical College, forneceu um raciocínio biológico para esta doença enigmática. A pequena empresa de pesquisa em biotecnologia, fundada pelos neurocientistas Dr. Frank L. Rice e Dr. Phillip J. Albrecht, informa sobre uma patologia neurovascular periférica única consistente presente na pele de pacientes com fibromialgia feminina, que pode ser uma fonte direta dos sintomas relatados.

"Em vez de estar no cérebro, a patologia consiste em fibras nervosas sensoriais excessivas em torno de estruturas de vasos sanguíneos especializados localizadas nas palmas das mãos", disse o Dr. Rice, presidente da Intidyn e pesquisador sênior do estudo. "Esta descoberta fornece evidências concretas de uma patologia específica da fibromialgia que agora pode ser usada para diagnosticar a doença e como um novo ponto de partida para o desenvolvimento de terapias mais eficazes".

As terminações nervosas chegam de várias formas.

Três anos atrás, cientistas da Intidyn publicaram a descoberta de uma função desconhecida do sistema nervoso entre os vasos sanguíneos da pele no jornal PAIN.

Como o Dr. Rice explicou, "analisamos a pele de um paciente particularmente interessante que não possuía todas as numerosas variedades de terminações nervosas sensoriais na pele que supostamente representavam nosso senso de toque altamente sensível e ricamente matizado. No entanto, é interessante que este paciente tenha uma função surpreendentemente normal nas tarefas do dia a dia. Mas, os únicos achados sensoriais que detectamos em sua pele foram aqueles ao redor dos vasos sanguíneos ". O Dr. Rice continuou: "Nós pensamos anteriormente que essas terminações nervosas só estavam envolvidas na regulação do fluxo sanguíneo em um nível subconsciente, mas aqui nós tínhamos evidências de que as terminações dos vasos sanguíneos também poderiam contribuir para o nosso senso consciente de toque ... e também dor".

Agora, em colaboração com o renomado Dr. Charles E. Argoff especialista em neurologia e dor da Albany Medical Center, , o investigador principal do estudo e seus colaboradores, Dr. James Wymer, também na Albany Medical College e no Dr. James Storey, da Upstate Clinical Research Associates em Albany, NY, as propostas de pesquisa clínica foram financiadas por Forest Laboratories e Eli Lilly. Ambas as empresas farmacêuticas desenvolveram medicamentos aprovados pela FDA com funções similares (Inibidores da Recaptação de Serotonina / Norepinefrina, SNRI) que fornecem pelo menos algum grau de alívio para muitos pacientes com fibromialgia.

"Saber como essas drogas deveriam trabalhar em moléculas no cérebro", acrescentou o Dr. Albrecht, "nós tínhamos evidências de que moléculas similares estavam envolvidas na função das terminações nervosas nos vasos sanguíneos. Portanto, hipotetizamos que a fibromialgia pode envolver uma patologia nesse local ". Como os resultados demonstram, eles estavam corretos.

Para analisar as terminações nervosas, Drs. Rice, Albrecht e o pesquisador pós-doutorado Dr. Quanzhi Hou, usaram sua tecnologia microscópica única para estudar biópsias de pele pequena (menos da metade do tamanho de uma borracha de lápis) coletadas das palmas de pacientes com fibromialgia, que estavam sendo diagnosticadas e tratadas pelos Drs. Argoff, Wymer e Storey. O estudo foi limitado às mulheres, que têm mais do dobro da ocorrência de fibromialgia do que os homens. O que o time descobriu foi um enorme aumento nas fibras nervosas sensoriais em locais específicos dentro dos vasos sanguíneos da pele. Esses sites críticos são minúsculas válvulas musculares, chamadas camadas arteríola-vênulas (AV), que formam uma conexão direta entre arteríolas e vênulas (ver diagrama).



Como o Dr. Rice descreve sua função, "todos nós somos ensinados que o sangue oxigenado flui de arteríolas para capilares, que então transportam o sangue desoxigenado para as vénulas. Os shunts de AV na mão são únicos, pois criam um bypass do leito capilar para o principal objetivo de regular a temperatura corporal ".

Um termostato para a pele

Nos seres humanos, esses tipos de shunts são exclusivos das palmas das mãos e solas dos nossos pés que funcionam como o radiador em um carro. Sob condições quentes, os shunts se fecham para forçar o sangue nos capilares na superfície da pele para irradiar calor do corpo e nossas mãos ficam suadas. Sob condições de frio, os shunts se abrem, permitindo que o sangue ignore os capilares para conservar o calor, e nossas mãos ficam frias e colocam luvas.

Segundo o Dr. Albrecht, "o excesso de inervação sensorial pode explicar por que os pacientes com fibromialgia tipicamente têm mãos especialmente macias e dolorosas. Mas, além disso, uma vez que as fibras sensoriais são responsáveis pela abertura dos shunts, eles se tornariam particularmente ativos em condições de frio, que geralmente são muito incômodos para pacientes com fibromialgia ".

Um papel na regulação do fluxo sanguíneo em todo o corpo.

Embora eles sejam principalmente limitados às mãos e aos pés, os shunts provavelmente terão outra função importante que poderia explicar a dor profunda generalizada, o cansaço e a fadiga que ocorrem em pacientes com fibromialgia.

"Além do envolvimento na regulação da temperatura, uma proporção enorme de nosso fluxo de sangue normalmente vai para nossas mãos e pés. Muito mais do que é necessário para o seu metabolismo ", observou o Dr. Rice. "Como tal, as mãos e os pés agem como um reservatório do qual o fluxo sanguíneo pode ser desviado para outros tecidos do corpo, como músculos quando começamos a exercitar. Portanto, a patologia descoberta entre esses shunts nas mãos pode interferir com o fluxo sanguíneo para os músculos em todo o corpo. Este fluxo de sangue mal gerido pode ser a fonte de dor muscular e dificuldade, e a sensação de fadiga que se pensa ser devido a uma acumulação de ácido lático e baixos níveis de inflamação de pacientes com fibromialgia. Isso, por sua vez, poderia contribuir para a hiperatividade no cérebro ".

O Dr. Albrecht também aponta que as alterações do fluxo sanguíneo normal podem estar subjacentes a outros sintomas da fibromialgia, como o sono não repousante ou disfunções cognitivas. "Os dados parecem se encaixar com outras evidências publicadas que demonstram alterações no fluxo sanguíneo para centros cerebrais superiores e o córtex cerebral de pacientes com fibromialgia", afirmou.

A cadeira de pesquisa sênior do Alan Edwards Center for Pain Research, na Universidade McGill, Dr. Gary Bennett, comentou depois de ver os resultados que "é emocionante que finalmente tenha sido encontrada alguma coisa. Podemos esperar que esta nova descoberta conduza a novos tratamentos para pacientes com fibromialgia que agora recebem pouco ou nenhum alívio de qualquer medicamento ".

Esta descoberta de uma patologia de tecido distinta demonstra que a fibromialgia não é "tudo na sua cabeça", o que deve proporcionar um enorme alívio aos pacientes com fibromialgia, ao mesmo tempo em que altera a opinião clínica da doença e orienta futuras abordagens para tratamentos bem-sucedidos.



BIOMAGNETISMO, a terapia que realmente trata a causa das doenças

Biomagnetista João Carlos Magalhães
www.biomagnetismo.com.br



Fonte: http://www.intidyn.com/news-events/news/20-researchers-discover-a-rational-biological-source-of-pain-in-the-skin-of-patients-with-fibromyalgia-press-relase

Biomagnetismo: Artrite Reumatoide



A Artrite Reumatoide é uma doença crônica, inflamatória, cuja principal característica é a inflamação das articulações (juntas), embora outros órgãos também possam ser comprometidos.
A AR é uma doença autoimune, ou seja, é uma condição em que o sistema imunológico, que normalmente defende o nosso corpo de infecções (vírus, bactérias, fungos e parasitas), passa a atacar o próprio organismo (nesse caso, o tecido que envolve as articulações, conhecido como sinóvia). A inflamação persistente das articulações, e se não tratada de forma adequada, pode levar à destruição das juntas, o que ocasiona deformidades e limitações para o trabalho e para as atividades de vida diária. O tratamento adequado e precoce pode prevenir a ocorrência de deformidades e melhorar a qualidade de vida de quem tem a doença.
O quadro clínico mais visto é caracterizado por artrite nos dois lados do corpo, principalmente nas mãos, nos punhos e pés, que vai evoluindo para articulações maiores e mais centrais como cotovelos, ombros, tornozelos, joelhos e quadris, podendo chegar a se centralizar também na coluna. As mãos são acometidas em quase todos os pacientes.
O tratamento, segundo a própria Sociedade Brasileira de Reumatologia, assim como a doença, é crônico, ou seja, o uso de medicamentos será sempre prolongado, tanto porque na maioria das vezes os efeitos só começam a aparecer muito tempo depois de iniciar o uso, como porque mesmo quando há melhora, existe a necessidade de continuar fazendo uso de remédios para que os sintomas não voltem.
Para o Biomagnetismo existe a Artrite Reumatoide em si, e a Artrite Reumatoide Falsa, que seria uma condição em que o quadro clínico é igual, mas não há a doença verdadeiramente. Em ambos os casos já existem Pares Biomagnéticos específicos protocolados para a atuação da terapia, com histórico de excelentes resultados, principalmente com relação à sintomatologia dolorosa.
Lembrando que independente desses Pares específicos, é SEMPRE necessário um rastreio (avaliação) completo para que o tratamento não tenha furos.

Regiane Oliveira