Menu

Cura Quântica


Medicina Quântica é a ciência da consciência, com uma visão emergente e pouco compreendida até agora, cuja origem está relacionada com a história da humanidade, porque o estudo foi realizado no grande laboratório da natureza, no ser humano vivo, aquele que dá a vida e permite você mover-se e respirar.

A Cura Quântica é um sistema de cura que se baseia principalmente na aplicação de bioenergia através de uma massagem radiante. Não há contato físico entre as mãos do terapeuta e do corpo do paciente, uma vez que atua principalmente pela radiação nos campos e centros bioenergéticos dos pacientes.

Muitas pessoas foram curadas com este tipo de tratamento, ou conseguiram acelerar a resposta aos tratamentos médicos convencionais. Também se aplica a uma ampla gama de doenças físicas, emocionais e nervosas. A maioria das pessoas alcançam uma harmonização completa a níveis físicos, vitais, emocionais e mentais, acompanhados por uma agradável sensação de profundo relaxamento e paz.

A partir da abordagem moderna para a teoria quântica, todos os seres humanos são totalmente envolvidos no universo, interconectado ao meio ambiente: somos matéria-energia-consciência interagindo diariamente, um exemplo é a respiração e alimentação. As energias externas interagem com as energias internas tanto fisiológica como emocionalmente, ou seja, ocorre constantemente em cada pessoa uma silenciosa troca de energias (quantum) que podem ser absorvidas ou emitidas.

Todo o ser vivo é composto de um corpo físico e um campo de energia, e como a vida constitui-se de atividades elétricas, ela campos eletromagnéticos que compõem a aura humana. Cada ser humano é composto por uma infinidade de campos eletromagnéticos que criam forças que estão constantemente interagindo. Os corpos vivos irradiam calor e energia, e isso é a própria força vital. Os pensamentos, as emoções, os sentimentos, a força vital e a energia espiritual.

Ao falarmos de armazenamento de energia no cérebro, é preciso referir-se a células que nela habitam, visto a partir do ponto de vista da medicina. Se você olhar de uma forma mais holística, nos referimos aos chakras, localizando o sétimo na cabeça, onde entra a energia que alimenta o nosso cérebro.

Os símbolos quânticos são diferentes dos símbolos do Reiki. Estes estão 54 no total e são "portais", "mídias", "canais" e "raios cósmicos" que agem na energia do DNA, e nos ajudam na transformação das velhas energias como seres, traumas, tristezas, ansiedades, medos, etc.

As energias dos símbolos não são visíveis aos olhos ou palpáveis ​​através do toque humano, mas você pode sentir e ativar porque foram ativados por Kryon no campo magnético da Terra, para nos ajudar com a nossa ascensão. Os símbolos são portais de luz, energias que estão vivas neste plano interdimensional e o que fazemos como seres humanos, é ativar através de desenhos simbólicos que evocam as energias de purificação.


Detalhes Sobre a Terapia

Qualquer pessoa pode receber este tipo de terapia, sem contraindicações. A sessão dura cerca de uma hora, e para entrar em um estado de relaxamento profundo podem ser usadas melodias suaves, levando você a se conectar com seu eu interior, e se obtém resultados a nível físico, mental e espiritual.

A Cura Quântica pode agir como um excelente complemento ao tratamento de várias doenças. Pode-se constatar que as pessoas com tratamentos de câncer, pacientes renais dialisados​​, entre outros, respondem melhor aos tratamentos convencionais quando estes, de forma paralela, são tratados com terapias naturais ou complementares. Um escopo muito importante é que as pessoas que estão em um tratamento médico convencional, não possuem qualquer contraindicação para receber o tratamento de Cura Quântica.

Vamos descrever dois casos que realmente emocionam.
A primeira relaciona-se a uma paciente com diagnóstico de ovários policísticos, onde as chances de engravidar eram nulas, indicado pelo seu médico. Em três sessões de Cura Quântica, seus cistos diminuíram significativamente e hoje já está em seu sétimo mês de gravidez.

O segundo caso é de um menino de 12 anos, que por razões que a medicina tradicional não foi capaz de identificar, retrocedeu cerca de 10 anos. Depois de todos os tipos de testes e não identificar a causa, os médicos estavam aguardando para poder interna-lo e começar com um tratamento que não tinham certeza da eficácia. Mas seus pais procuraram um terapeuta quântico e em apenas uma sessão (que durou mais de duas horas), a criança voltou ao normal durante os próximos dias.



Suas Origens e História

Os Orientais fizeram uma grande contribuição para a medicina holística como eles começaram há muitos séculos atrás para investigar o corpo associado à alma como um ser todo indiferenciado. Sua medicina animista baseou sua pesquisa sobre os movimentos da natureza e como a energia atua sobre o meio ambiente, mantendo assim os ciclos da vida. Desde que o homem é parte da mesma natureza, não há outra escolha a não ser dar o mesmo fluxo de energia.

No Chile, foram formados os primeiros terapeutas quânticos entre 1997 e 1998 pelo principal difusor desta disciplina no mundo, o mestre Ramaisis, e tem sido aplicado desde então ininterruptamente, com excelentes resultados.


Existem várias técnicas de Cura Quântica, criadas por mestres ou canalizadores distintos.
Algumas utilizam símbolos como a “Cura Quântica Estelar” ou os “Símbolos Quânticos de Kryon”, assim como há técnicas que não utilizam-se de símbolo algum, apenas a bioenergética entre outras.

Fontes: João Carlos Magalhães
http://www.ciudadzen.com
http://www.tarakuyen.cl

Passes Magnéticos x Passes Mediúnicos x Reiki


O que essas práticas têm em comum
Em primeiro lugar
A utilização de energias subtis ou extrafísicas...
ou seja, energias que não são produzidas pelo corpo físico humano.

Em segundo lugar
Essas energias subtis ou extrafísicas, embora sejam de diferentes tipos em cada uma dessas três práticas, são, todas elas, extremamente benéficas à saúde e ao bem-estar do ser humano.


Quem pode aplicar
O Passe Magnético
Em tese, qualquer encarnado que atenda a algumas exigências mínimas, tais como ter suficientes maturidade e saúde física e mental. Entretanto, além disto, pelo menos o bom senso recomenda que somente aqueles encarnados que foram eficazmente treinados (na teoria e na prática) apliquem Passes Magnéticos.

O Passe Mediúnico
Somente aqueles encarnados dotados da faculdade mediúnica chamada "incorporação", ou seja, os médiuns-passistas.

O Reiki
Somente aqueles encarnados que foram iniciados, pelo menos no primeiro grau do Reiki, por um Mestre (terceiro grau) Reiki. Aliás, este é o primeiro "mistério" do Reiki, haja vista que somente aquela iniciação pode transformar um encarnado em um "canal Reiki"...

Comentário pessoal Este primeiro "mistério" do Reiki foi o mais difícil para eu aceitar - e o que é pior, aceitar sem compreender!!! - porque, desde 1969, conduzo meus estudos e pesquisas dentro do mais rigoroso pragmatismo, sem abrir mão do raciocínio científico, da razão e da lógica, e sem admitir nada que seja discordante daquele princípio que reza que não existe efeito sem causa, e - de repente! - no meu Curso de Reiki comprovei que aquela iniciação, e única e exclusivamente aquela iniciação feita por um Mestre Reiki do terceiro grau, abriu, em mim, o "canal Reiki". É mole?


Os autores principais e secundários
No Passe Magnético
O autor principal é o passista magnético. Os autores secundários são os benfeitores espirituais, desencarnados, que, naquele momento, auxiliam o passista magnético. Mas quem comanda e dirige, como quiser, souber e puder, é o passista magnético.

No Passe Mediúnico
O autor principal é o guia mediúnico, desencarnado, que, naquele momento, está "incorporado" no seu médium-passista. O autor secundário poderá (e deverá) ser o médium-passista, se ele quiser, souber e puder. Em tese, quem comanda e dirige - como quiser, souber e puder - é o guia mediúnico, mas o médium-passista poderá intervir, se quiser, souber e puder.

No Reiki
O único autor é o "canal Reiki", encarnado, que comanda e dirige - como quiser, souber e puder - o Reiki. Entretanto, pode-se presumir que os Mestres Maiores do Reiki, desencarnados, pelo menos atuem intuindo seus "canais Reiki", e/ou, como veremos a seguir, quem sabe até intermediando o fornecimento das energias curadoras.


As energias e os seus fornecedores
No Passe Magnético
O fornecedor principal é o passista magnético, que manuseia e fornece suas próprias energias humanas e também não humanas (por exemplo, o Prana) contidas no seu campo magnético. Os fornecedores secundários são os benfeitores espirituais, desencarnados, que, naquele momento, auxiliam o Passe Magnético sempre com suas próprias energias humanas e não humanas, e - opcionalmente - com outras energias não humanas, se eles souberem, puderem e quiserem fazer isto.

No Passe Mediúnico
O fornecedor principal é o guia mediúnico, naquele momento "incorporado" no seu médium-passista, que manuseia tanto as suas próprias energias humanas e não humanas contidas no seu campo magnético quanto outras, não humanas, se for o caso, trazidas por ele do plano astral, e - se ele souber, quiser e puder - de outros planos mais elevados. O fornecedor secundário poderá (e deverá) ser o médium-passista, caso ele disponha de energias humanas e não humanas de boa qualidade e na quantidade suficiente no seu próprio campo magnético. Neste caso, o guia mediúnico manuseará também essas energias humanas e não humanas do seu médium-passista.

No Reiki
Este é o segundo "mistério". A Mestra que me iniciou disse, laconicamente, que o Reiki utiliza energias curadores do universo. Eu bem sei que são energias curadoras, mas podemos presumir - em primeiro lugar - que se tratam de energias solares (um tipo específico de Prana?) obviamente fornecidas e enviadas pelo Cristo do nosso Sistema Solar, e - em segundo lugar - que essas energias solares são aqui, na Terra, intermediadas, administradas e "aclimatadas" pelos Mestres Maiores do Reiki, desencarnados.


Onde as energias são colocadas?
No Passe Magnético e no Passe Mediúnico
O passista coloca as energias diretamente no campo magnético dos seu paciente, especificamente nos principais chacras do paciente.

No Reiki
O "canal Reiki" coloca as energias diretamente no corpo físico do paciente. Isto nos remete à seguinte análise: -- Se o Reiki é aplicado diretamente no corpo físico, então trata-se de energias físicas, entretanto, como sabemos, na sua origem são energias cósmicas, presumivelmente solares, portanto, assim fica evidenciado um trabalho, oculto e invisível, dos Mestres Maiores do Reiki, desencarnados, que transformam energias curadoras cósmicas em energias curadoras físicas.


Contato físico
No Passe Magnético e no Passe Mediúnico
Considerando que o campo magnético do paciente é o local aonde o passista dirigirá suas energias, e também considerando que o campo magnético humano extrapola o corpo físico em aproximadamente 5 a 10 cm, é óbvio que o passista não precisa (e nem deve) pegar no corpo físico do paciente para fornecer-lhe energias. Mas existem excepções, principalmente nos Passes Mediúnicos, por exemplo, em alguns casos mais graves de difíceis e até perigosas limpezas energéticas localizadas, como será exemplificada adiante, em "Aplicações".

No Reiki
É absolutamente indispensável que o "canal Reiki" (do primeiro grau) pegue em cada parte do corpo físico do seu paciente onde colocará as energias Reiki. Somente os canais Reiki do segundo e terceiro graus podem, se quiserem, aplicar Reiki à distância.

Comentário pessoal
Para mim, há muitos anos acostumado a, deliberadamente, não pegar nos corpos físicos dos meus pacientes dos meus Passes Magnéticos, foi - e ainda é, confesso.. - no mínimo constrangedor, nas minhas práticas de Reiki, pegar em uma ou várias partes dos corpos físicos dos meus pacientes.


Técnica de aplicação - Exigência de concentração
O Passe Magnético e o Passe Mediúnico
Sob grave e sério risco de diminuição ou completa perda da eficácia do Passe, é absolutamente imprescindíveis que tanto o passista (principalmente) quanto o paciente permaneçam concentrados durante o Passe.

O Reiki completo ou localizado
Consiste em três etapas consecutivas: abertura do campo magnético do paciente, energização completa do corpo físico do paciente, nos locais pré-determinados, e o fechamento do campo magnético do paciente. Duração média: 40 minutos a 1 hora.

No Reiki este é o terceiro "mistério" porque - acredite se quiser... - a concentração ou não do "canal Reiki" e/ou a concentração ou não do paciente não atrapalham e nem diminuem em nada a eficácia do Reiki. Ou seja, basta o iniciado predispor-se a atuar, naquele momento, como "canal Reiki" e, pura e simplesmente, colocar suas mãos (ou apenas uma mão) sobre a parte do corpo do seu paciente a energizar. E ele pode até conversar, assistir televisão, etc. enquanto aplica aquele Reiki.

Observação
Esse "mistério" da não exigência de concentração também ocorre com o Johrei, da Igreja Messiânica, com a diferença de que os administrantes utilizam, obrigatoriamente, um elemento intermediário - o ohikari, um tipo de medalha, usada no peito, que a eles é outorgado após um curso-iniciação específico - que capta as energias curadoras e as direccionam para os pacientes. Como dizem os messiânicos, os Johreis, que duram em média 15 minutos mas podem levar horas, servem para auxiliar na solução de qualquer tipo de problema humano.

Comentário pessoal
Pela força do hábito dos Passes Magnéticos, e - por que não? - tentando colaborar para o aumento da eficácia, normalmente eu aplico Reiki de maneira concentrada. E também peço aos meus pacientes que façam o mesmo.


Exigência de preparo prévio
No Passe Magnético - Sob grave e sério risco de diminuição ou completa perda da eficácia, e até de graves e sérios prejuízos energéticos para o passista magnético, é absolutamente exigido dele não somente o devido preparo prévio quanto a produção e a manutenção, no seu campo magnético, do necessário e suficiente "superavit" de energias positivas e potentes.

No Passe Mediúnico - Em tese, existe aquela mesma exigência para o Passe Magnético, porém quando isto não for cumprido, poderá existir a significativa diferença do guia mediúnico - se souber, quiser e puder - suprir tal falha do médium-passista.

No Reiki
Como facilmente podemos deduzir, não existe tal exigência.


Sensação física
No Passe Magnético e no Passe Mediúnico Somente aqueles passistas que já desenvolveram suficientes sensibilidades magnéticas podem ter sensações físicas, boas ou más, durante os Passes que aplicam. Idem os pacientes.

Observação
Alguns passistas, magnéticos e/ou mediúnicos, têm esse sensibilidade magnética em tão elevado grau que eles chegam a sentir, durante os seus Passes, as dores, as angústias e os problemas dos seus pacientes.

No Reiki
Este é o quarto "mistério" do Reiki porque o "canal Reiki", enquanto aplica um Reiki, sempre sente um calor (às vezes muito grande) na palma da sua mão (ou nas palmas das suas mãos) que estão em contacto com o corpo físico do seu paciente. Quanto ao paciente, a maioria também sente esse "inexplicável" calor naquele local do seu corpo físico onde estão colocadas as mãos do "canal Reiki". Alguns pacientes, aqueles que têm grande sensibilidade energética, sentem esse calor num elevado grau.

Mas ainda tem um quinto "mistério" que só se aplica aos pacientes, nunca aos "canais Reiki", porque eles, os pacientes, podem ficar com sono enquanto recebem um Reiki. Outros não. Mas tem alguns pacientes que chegam a dormir profundamente enquanto recebem Reiki...


Aplicações
O Passe Magnético
Destina-se a limpeza energética do paciente, sempre seguida de transfusão de poderosas energias positivas para o campo magnético dele.

O Passe Mediúnico
Em primeiro lugar, tem aquela mesma finalidade do Passe Magnético: Limpeza Energética e Energização. Em segundo lugar, pode fazer, através da atuação de guias mediúnicos especializados, determinados tipos de limpezas energéticas mais difíceis e até perigosas, por exemplo, dos terríveis miasmas astrais. Em terceiro lugar, permite que obsessores incorporem nos médiuns-passistas, e assim possam ser doutrinados.

O Reiki do primeiro grau
É um tratamento alternativo - sempre complementar ao tratamento médico convencional - de problemas de saúde física.


Esclarecimento final
Como é evidente, este modesto trabalho é apenas um breve estudo comparativo entre essas três maravilhosas técnicas energéticas alternativas, portanto, não pretende ser conclusivo e nem nada do gênero, e sim, apenas, colaborar, através dessas simples comparações, para a nossa melhor compreensão desses tão importantes temas. Obrigado pela sua atenção!

Fonte: Francisco de Carvalho
http://www.universodeluz.net

Saúde - Acidez e Alcalinidade (parte 4)

Dieta Alcalina 

O médico sueco Dr. Ragnar Berg, foi o pioneiro na pesquisa da alimentação alcalinizante, esta sugere que 85% da dieta deve ser composta de elementos ricos em bases, dos quais uma parte deve estar em estado cru e apenas 15% deve ser reservada para alimentos acidificantes. Berg argumenta que a melhor terapia é com sucos de frutas frescas e verduras.




  • Comece a melhorar a qualidade da alimentação para começar a melhorar a qualidade de vida. Esteja ciente do que se alimenta. 



  • Preste atenção ao equilíbrio ácido-base do organismo pode eliminar uma série de sintomas, muitos dos quais são considerados às vezes hábito normal. 



  • Conheça os alimentos acidificante e alcalinizantes para começar a modificar a ingestão diária. A mudança deve ser gradual, inicialmente duas partes alcalinizantes por cada parte de acidificante, até equilíbrar em 4 por 1, e alcançar o hábito de consumir alimentos em equilíbrio ácido-alcalino. 


  • Adaptar-se a alimentos orgânicos e da época do ano 


  • O excesso de alimento provoca a acidificação, é necessário nutrir o corpo com moderação para satisfazer as necessidades básicas. 


  • Comer frutas (na época e maduro) e verduras (cruas, cozidas no vapor ou consumidos na água de cozimento). De preferência, consumir frutas e hortaliças de cultivos naturais e orgânicos. 


  • Incorporar grãos menos acidificantes (arroz integral Yamani, trigo sarraceno, milho) ou alcalinizantes (painço ou cevada) e legumes (feijões, lentilhas, ervilhas, grão de bico, soja, ervilha) previamente embebidas com um pedaço de alga kombu ou uma folha de repolho branco ou louro. 


  • Prefira as frutas secas: amêndoas, tâmaras, passas e nozes. 


  • Adoce com mel de arroz ou cevada, mel de abelhas.


  • O suco de limão é um produto usado para alcalinizar o organismo. Ele pode ser adicionado a um caldo de vegetais, cebola, aipo, resultando na desintoxicação e combinação desintoixicante e alcalinizante que é feita antes do almoço e do jantar. 


  • Em jejum, beba suco de frutas (contribuição exclusiva de bases ou alcalino), facilita o processo de purificação de resíduos ácidos e permite que você sinta sensação de alívio no organismo.




A Macrobiótica e o equilibrio YIN - YANG 

A Macrobiótica considera o YANG o elemento alcalino e o YIN o elemento ácido. Para manter a boa saúde, deve ser mantido o equilíbrio Yin-Yang, ou ácido-base.
Alguns alimentos alcalinizantes na dieta macrobiótica são: miso (pasta de soja fermentada), gergelim, raiz de bardana, algas, feijão aduki (protege a função renal), chá de Bancha, raiz de lótus, e ameixas umeboshi.

Alguns alimentos, ordenados segundo a abordagem macrobiótica no valor decrescente do elemento Yang (de mais alcalino a menos alcalino).


  • Cereais: trigo mourisco, painço, centeio, trigo integral, arroz Yamani, cevada, milho. 
  • Frutas: maçã, morango, castanha, cereja, azeitona, pêssego, avelã, amendoim, amêndoa, pêra, melão, butiá, figo, banana, cítricos, abacaxi. 
  • Legumes e Verduras: dente de leão, urtiga, cenoura, couve-flor, abóbora, salsa, cebola, nabo, chicória, alface, repolho, beterraba, lentilhas, ervilhas, alho, cogumelos, pepino, espinafre, aspargos, tomate, ervilhas 
  • Laticínios: queijo de cabra, queijo cheddar, leite, manteiga, creme de leite, iogurte. 
  • Óleos: gergelim, milho, girassol, soja. 
  • Bebidas: chá de ginseng, ban-cha, suco de frutas.


Fonte: http://biomagnetismo.com.mx

Saúde - Acidez e Alcalinidade (parte 3)



Como as bactérias e fungos desenvolvem-se? 

Uma das consequências de ter o corpo demasiadamente acidificado é ter todos os meios adequados para a sobrevivência das bactérias e os fungos.

Os fungos são formas unicelulares que crescem em matéria humana, animal ou vegetal. Estes organismos aproveitam-se deste estado ácido, sobrevivem de nossa energia, elétrons, utilizam nossas gorduras e proteínas, incluindo nosso material genético para desenvolver e crescer, são transformações biológicas de seu próprio corpo e vivem e prosperam em um estado ácido com baixo oxigênio.



Como desenvolver um estado alcalino? 

Como descrito acima, existe uma associação entre a acidez e o crescimento excessivo de microrganismos no corpo. Também já foi mencionado anteriormente que o excesso de acidez é gerada não só por suas próprias funções metabólicas do corpo, mas pelo tipo de alimento que consumimos, o que bebemos, os tóxicos que ingerimos (remédios, açúcares, etc.), o estilo de vida (vida sedentária ou excesso de exercícios), emoções, pensamentos negativos, o stress, poluição, etc. É um ciclo de desequilíbrio.

As células do corpo estão sempre trabalhando para adaptar-se a um Ph descendente em meio ácido. Se decompoem transformado-se em bactérias, fungos e leveduras que por sua vez excretam toxinas (ácidos debilitantes), envenenando ainda mais o ambiente interno já contaminado. É um desequilíbrio para o sistema, torna-se assim um ciclo perpetuo.

A boa notícia é que a ingestão de certos alimentos, a ingestão correta de suplementos que alcalinizam o corpo, o estilo de vida e exercícios adequados, os microorganismos não se desenvolvem em excesso e as células começam a evoluir positivamente, e o corpo pode eliminar toxinas corretamente. O Ph equilibra quando você consome alimentos que possuem efeito alcalinizante no corpo.



Quais alimentos alcalinizam o corpo? 


Basicamente são os vegetais com folhas verdes como espinafre, rúcula, brócolis, alface, etc. Também a batata, batata doce, tomate, pepino, etc, Legumes como grão de bico e a lentilha, sementes e nozes, amêndoas e avelãs. Limão, lima e o pomelo (grapefruit). O sal não refinado. Grãos como quinoa, painço, trigo sarraceno, espelta (trigo-vermelho) e arroz integral.

O ideal é que 80% da nossa alimentação seja alcalinizante e 20% acidificante, para manter o equilíbrio.

Os alimentos que basicamente nos acidificam são: proteínas de origem animal, carne de todos os tipos, ovos, laticínios. Açúcares em todas as suas formas, carboidratos refinados (arroz branco, pão, massas).



Há algo mais que alcalinize o corpo? 


O limão e a lima, apesar de serem ácidos, curiosamente possuem um efeito alcalinizante no organismo. Óleos como os  de linhaça, uva, abacate e azeite de oliva, também possuem um efeito alcalinizante. Também podemos incluir o ômega-3 (óleo de peixe ou  krill).

Existem também determinados sais minerais especialmente alcalinizantes: sódio, potássio, magnésio e cálcio. Eles podem ser comprados em conjunto ou separadamente. Também existem gotas para equilibrar o Ph, para alcalinizar a água.

Entre os suplementos que eu pessoalmente utilizo e recomendo são as gotas de Alkalife para alcalinizar a água que bebemos. Possui um pH de 10, o que significa que quando colocado na água, este pH sobe acima de 7,5. As gotas Alkalife são desenvolvidos pelo Dr. Sang Whang.
Também alcançamos o pH neutro com Biomagnetismo Médico, impactando em pontos específicos ímãs negativos e positivos obtendo o equilíbrio do ph do organismo, onde no final, é o lugar onde está o ESTADO DE SAÚDE PERFEITA, não na acidez nem na alcalinidade.


Fonte: http://biomagnetismo.com.mx

Saúde - Acidez e Alcalinidade (parte 2)


O que provoca a produção da acidez?
Como foi dito antes, a acidez ocorre não só pelas funções do corpo, mas também por um desequilíbrio nas dietas que são extremamente acidificantes, resultando na acidez das células, tecidos, órgãos e finalmente, o sangue. Este desequilíbrio prepara o quadro para o caos, abrindo a porta para doenças de todos os tipos.
Pensamentos, estresse ou estado emocional negativo, estilos de vida sedentários também acidificam. Assim como medicamentos, ondas e qualquer elemento químico que são encontrados no ar, água ou comida.

Quais são as consequências da acidificação?
O sangue deve idealmente ser mantido sempre com Ph 7.365. Outras partes do corpo possuem pH diferente. Manter o pH alcalino dos fluidos corporais, incluindo o sangue, urina, saliva (lágrimas e suor) é essencial para a boa saúde. Mas o mais importante é o sangue.
As doenças físicas, crônicas, agudas e desconforto são quase sempre consequencias de excesso de ácido alterando o equilíbrio do Ph do corpo, chegando a produzir sintomas que conhecemos como doenças. A doença também pode ser o resultado de exposição a fontes tóxicas, contaminações de todos os tipos (mas mais incomuns). Dependendo do nível de acidez, muitas vezes os sintomas são quase imperceptíveis.



O equilíbrio ácido-base não é o único equilíbrio necessário para ser saudável, outros equilíbrios como atividade e repouso, a vigília e o sono, inspirar e expirar, o sangue venoso e o arterial ou comer e defecar.

Quando há um desequilíbrio no pH, as doenças aparecem e quando esse equilíbrio é perdido, o corpo é incapaz de continuar a trabalhar, e pode até mesmo levar à morte.

A agressividade dos ácidos em excesso nos tecidos, irritam os órgãos com os quais estão em contato. Causando processos inflamatórios, que por sua vez pode causar dor, perda de função, ou danos aos tecidos.

Nestes processos, os órgãos do corpo que separam os ácidos fortes como, a pele e os rins, intervem. Muitos eczemas, urticárias, coceiras e vermelhidões da pele, são causados pela acidez do suor.

Fonte: http://biomagnetismo.com.mx

Saúde - Acidez e Alcalinidade (parte 1)



O que é pH? 

PH é um termo originalmente definido em 1909 por um bioquímico dinamarquês chamado Soren Peter Lauritz Sörensen. O pH significa literalmente "potencial de hidrogênio", ou seja, o pH é usado para indicar a concentração de íons de hidrogênio em um fluido. Simplesmente íons de hidrogênio são prótons (partículas ou moléculas com carga positiva). Já que os ácidos dissolvidos em um fluido, produzem íons de hidrogênio, então sabemos que quanto mais íons de hidrogênio houver em uma solução, mais ácida será. Portanto, se olharmos para a concentração de íons de hidrogênio em um fluido (líquidos corporais, saliva, urina, sangue, líquido extracelular e intracelular), o pH indicará se o componente do fluido é ácido, alcalino ou neutro. Esta é a razão pela qual a medição do pH dos nossos fluidos e tecidos corporais, nos permite determinar se o corpo está em um estado de equilíbrio ácido-alcalino.

Classifica-se que uma substância ácida, libera íons de hidrogênio e uma substância alcalina absorve íons de hidrogênio.


POR QUE É TÃO IMPORTANTE PARA A NOSSA SAÚDE? 

O Prêmio Nobel Albert Gyögyi, 1937 (por descobrir a vitamina C em 1927) disse que o corpo "é alcalino por concepção, mas suas funções são acidificantes." Ele quis dizer que todos os processos metabólicos do corpo produzem grandes quantidades de ácido, minuto a minuto, apesar de que as células e tecidos para funcionarem adequadamente, precisam de um ambiente alcalino, e o corpo fará de tudo o que precisar, para manter sua concepção alcalina e manter o equilíbrio do pH.

Todas as funções corporais produzem efeitos ácidos, portanto facilmente (e normal) o sangue e tecidos acidificarem. Assim, podemos dizer que o corpo humano é alcalino por concepção, mas suas funções são acidificantes. E isto na prática, significa que o corpo necessita de um combustível alcalino, e que os ácidos são produzidos como um subproduto de todas as atividades humanas.

Fonte: http://biomagnetismo.com.mx